Membro integrante da RENAMO é baleado em Tete

0
Foto:DR

Um simpatizante da RENAMO sofreu ferimentos depois de ter sido baleado quinta-feira, em Tete, interior de Moçambique, num incidente relacionado com a campanha eleitoral, anunciou o maior partido da oposição.

De acordo com a DW, o incidente aconteceu dentro de uma esquadra de polícia quando se tentava resolver uma disputa relacionada com um local para afixação de cartazes, entre simpatizantes da Renamo e da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO, no poder), noticiou a Agência de Informação de Moçambique (AIM).

A RENAMO responsabiliza membros da FRELIMO pelo disparo, enquanto a polícia anunciou estar a recolher dados sobre a ocorrência.

Ao todo, o maior partido da oposição moçambicana diz que são quatro os seus militantes que foram vítimas desde o início da campanha eleitoral, adianta “O País”. Segundo o jornal, a chefe-adjunta da brigada central da FRELIMO para assistência à província de Tete, Ana Rita Sithole, negou todas acusações da RENAMO e disse que “os militantes do partido no poder foram alertados a pautar pelo civismo neste processo”.

O incidente em Tete é o mais grave ocorrido na campanha que arrancou na terça-feira (25.09) e que tem decorrido de “forma tranquila”, segundo o Centro de Integridade Pública (CIP), ONG da sociedade civil moçambicana que publica um boletim eleitoral regular.

“Nos 53 municípios, os nossos correspondentes reportam uma campanha ordeira, com as caravanas dos diferentes concorrentes a cruzarem-se sem violência”, refere.

Esta quinta-feira (27.09), no mercado de Namuinho, um dos bairros periféricos, um alegado agente da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Zambézia ter-se-á infiltrado na caravana do maior partido da oposição para, alegadamente, atentar contra a segurança de Manuel de Araújo.

Segundo o porta-voz da RENAMO, Latifo Charifo, o alegado agente foi rapidamente neutralizado por seguranças particulares do candidato. Manuel de Araújo confirmiu o sucedido, mas sem avançar muitos detalhes. “Decidi não entrar em assuntos que não têm que ver com o corpo da campanha, essa é a minha estratégia. Estou concentrado na campanha”, declarou.

Quase sete milhões de eleitores estão recenseados para as quintas eleições autárquicas de Moçambique, marcadas para 10 de outubro em 53 municípios, que cobrem parte do território nacional onde decorre a campanha eleitoral.