O país cabe aqui.

Porta-voz de família

0
Notícias de Angola

O estado de saúde do Eng.º José Eduardo dos Santos, ex-Presidente da República de Angola, é um assunto de interesse público. Mas, a divulgação de informação  que viola o direito à intimidade da sua vida privada e da família não é justa, como testemunhamos nos últimos tempos.

As notícias sobre as figuras públicas sempre suscitaram interesse das massas. A diferença é que hoje por hoje, este interesse, para além de gerar lucro,  é mensurável. Gera milhares de visualizações, gostos e altos níveis de engajamento nos novos media e nas redes sociais.

Para Ismael Mateus, tais notícias representam um “alerta amarelo para um caminho sinuoso do jornalismo sensacionalista que muitos países fizeram”, pelo que, o jornalista, no seu artigo: A Privacidade das Figuras Públicas, o Sensacionalismo e o Interesse Público recomenda “o estudo da realidade vivida por outros países com o fito de evitar o cometimento dos mesmos erros” (JA 16/05/2022).

O “insight” gerado por este alerta levou-nos a olhar para Assessoria de Imprensa, enquanto técnica de comunicação que visa a gestão dos fluxos de informação entre uma instituição/indivíduo e os media; porque esta sede de informação da vida privada de figuras públicas só está a começar e não tem fim à vista, na medida em que as figuras públicas não possuem o mesmo nível de protecção constitucional, se comparado aos cidadãos comuns.

É nesta perspectiva que sugerimos a figura do porta-voz de família. As figuras públicas com notoriedade “top of mind” devem ter presente a necessidade de contratar um porta-voz de família, à semelhança do médico de família.

Está comprovado que o silêncio não deve ser a regra quando surge informação que viole à intimidade da vida privada das celebridades. A figura do porta-voz de família seria uma pessoa idónea com certa notoriedade no seio da família e na sociedade, contratada e autorizada para pronunciar-se em nome da família sempre que acontecer uma crise de comunicação que a lese.

Em linhas gerais as especulações florescem num clima de falta do contraditório, e, no mais das vezes, a forma como a pessoa reage pode gerar ruído ou desconfiança, tal como ocorreu com a carta supostamente assinada pelo ex-presidente, autorizando exclusivamente o seu médico pessoal a falar sobre o seu estado de saúde.

Portanto, o porta-voz deve ser publicamente conhecido, por lidar com questões pessoais da família, importa que a relação jurídica com a família contemple a obrigatoriedade do cumprimento de cláusulas de confidencialidade. Em suma, esta figura representa um assessor de comunicação responsável por gerir a imagem e o bom nome da família junto dos media.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies