O país cabe aqui.

Embaixador enaltece terceira edição da Bienal de Luanda  

Notícias de Angola- O Embaixador de Angola na Etiópia Miguel Bembe, enalteceu a terceira edição do Fórum Pan-Africano para Cultura de Paz e Não-Violência (Bienal de Luanda), ocorrida nos dias 22, 23 e 24 de Novembro último.

Nesta edição o evento teve com foco a “Educação, Cultura de Paz e Cidadania Africana como Ferramentas para o Desenvolvimento Sustentável do Continente”.

Em nota que o Notícias de Angola teve acesso hoje, o diplomata angolano prestou informou ao Conselho de Paz e Segurança da União Africana , os resultados do evento durante uma reunião em formato virtual a presidência a embaixadora da Gâmbia na Etiópia e Representante Permanente junto da União Africana e UNECA, Jainaba Jagne.

O representante angolano na Etiópia, explicou que a Bienal de Luanda de 2023 procurou aprofundar a partilha de visões sobre a cultura de paz, segurança, cidadania africana, democracia em África, edificação de sociedades mais pacíficas, transformando atitudes e abordagens nos domínios político, económico e social para o fortalecimento dos pilares do progresso integral do continente.

Miguel Bembe referiu que a Bienal de Luanda, visou conferir uma maior articulação entre o programa da União Africana referente a realização de actividades inerentes à paz e à estabilidade, assim como a agenda do Presidente da República João  Lourenço, enquanto Campeão da UA para a Paz e Reconciliação em África. 

A nota esclarece ainda que o objectivo do evento foi o desenvolvimento de trabalhos com a UNESCO na definição de planos de acção para a promoção da educação, ciência e divulgação da arte em prol do fomento da cultura de paz e não-violência.

Sublinhou ainda como desiderato da Bienal, o incentivo à reflexão sobre as vantagens da implementação da educação de qualidade, da cidadania africana, da integração continental, da acção climática, do uso de energias renováveis e de tecnologias de informação e comunicação, do empoderamento das mulheres e meninas, bem como a consolidação da governação democrática e do Estado de Direito em África.

O diplomata angolano destacou o diálogo Intergeracional entre Líderes e Jovens.

O Comité director da Bienal recomendou a República de Angola e a Comissão da União Africana, especificamente o Departamento dos Assuntos Políticos, Paz e Segurança a trabalharem num projecto de decisão a ser adoptado pela 37ª Sessão Ordinária da Assembleia dos Chefes de Estado e de Governo da UA, a realizar-se nos dias 17 e 18 de Fevereiro de 2024, com o objectivo de definir na agenda da UA um mês exclusivo para a realização do Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz e Não-violência – Bienal de Luanda.

Os participantes saudaram o Presidente João Lourenço pela realização do evento e encorajaram-lhe a trabalhar para a manutenção da Bienal como um espaço de reflexão, escuta e troca de ideias entre jovens, Chefes de Estado e de Governo, líderes empresariais e outros decisores interessados nas resoluções de questões atinentes a juventude como a materialização da Agenda 2063 da UA e dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

Comentários estão encerrados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies