O país cabe aqui.

Eleições Gerais Com Clareza, Verdade E Reconhecimento Das Insuficiências De Governação

0

Por: Gabriel Díssel

Eleições gerais são consideradas um tipo de eleições realizadas simultaneamente em todo o país para eleger o presidente e o vice-presidente da República, e no caso de Angola, também, os deputados da Assembleia Nacional, como representantes do povo, por meio do Partidos votados de livre escolha e sem persuasão. Salientar, que é por outro lado, um momento especial para qualquer povo de um determinado país, em que todo cidadão deve ter consciência que independentemente, do ponto de vista da cada um, credos religiosos, ideologias politicas e partidárias, deve saber e aceitar, que a única forma e maneira de se estar no poder é simplesmente e exclusivamente, por meio de votos e que deve ser por outro lado,  livre, justo, verdadeiro, transparente, ao contrario é reprovado e inaceitável diante da Comunidade Internacional.

Gostaria de trazer um dado que nunca um dia ouvi, mas que é importante trazer para conhecimento e reflexão de todos angolanos e não só, que Angola foi colonizado durante “493 anos” por uma terrível e injustiça escravatura no seu próprio território, que infelizmente, provocou inúmeras perdas de recursos , principalmente, minerais e sobretudo, humanos que foram vendidos e transportados como animais de carga, para América, Asia e Europa desenvolvendo esses espaços territoriais mundiais e subdesenvolvendo, a nossa mãe África e naturalmente, Angola.

Após a conquista, arrancada da colonização desumana dos portugueses, para descolonização e independencia de Angola em 1975, com o reconhecimento perante a África e o mundo, o MPLA tem sido o partido que tem governado o destino do povo angolano durante 47 anos, enfrentado, durante grandes Intempéries exógenos e endógenos, que muitos dos bons filhos desse grande país, perece, terem se esquecido, até mesmo os mais-velhos que participaram, viveram, fizeram, passaram, provocaram e se beneficiaram, quer directa ou indirectamente, cujas evidências dessa afirmação, é conhecida por todo mundo, porque são eles que são os governantes da atualidade e seus filhos tiveram e têm as melhores condições de vida e tudo fazem-no, para que a continuação de seus maus comportamentos e de gestão dos bens públicos continuam a perdurar,  no entanto, não importa se são filhos dos dirigentes do MPLA, UNITA, FNLA, CASA-CE, PRS, dos Ministros, Secretários do Estado, Directores de Gabinetes e outros, ou mesmo dos Generais e outros, mas sabem muito bem, que cada um deles têm uma quota culpa, nos problemas atuais de Angola e todos devem ser chamados, a assumirem esses erros do passado, para que não aconteça nada que nos leva a consequências que venhamos a nos arrepender, a posterior. Afinal todos erramos, mas o mais importante não é continuarmos a errar e a apontar sempre os dedos a quem governa ou não é poder, precisamos ter uma outra abordagem de amor, paz e reconciliação entre irmãos do mesmo país, o qual todos têm o mesmo direito de oportunidade, justa e com, ou, sem meritocracia de tal maneira que todos e de acordo, com sua capacidade se sinta incluso e não excluso.

Entendo, que quanto a muitos jovens e sobretudo, os que nasceram após os anos sangrentos de 2002 estejam na razão de se questionarem do rumo em que o nosso país se encontra na atualidade, sobretudo, do ponto de vista económico e social, mas por outro lado, também, compreendo, que quer aceitemos ou não, infelizmente herdaram as consequências dos maus comportamentos e desentendimentos, que poderiam ser evitados, caso os mais-velhos, militares, políticos  e outros, camuflados , tiveram e sem esquecer, ainda, a sempre e má intenção de alguns países do Ocidente, que não queriam que tivessemos paz e tudo fizeram, agitaram, influenciaram e enganaram lideres políticos na continuação da guerra, para melhor debicarem nossas riquezas, venderem suas armas e com a promessa, de que se ganhassem a guerra, seriam possíveis governantes do país.

Pois, então, “os angolanos se encontram num momento de muita reflexão, ponderação, consciencialização, tranquilidade, maturidade e de decisão”, porque para que Angola, possa ser um grande país, não deve somente ser pelos inúmeros recursos que possui, mas sobretudo, ter uma população inteligente, que não age à toa, não fala à toa, não discute à toa, não se enraivece à toa, não condene à toa, não se posicione à toa, não se desconsidere à toa, não desvalorize à toa, o que se conseguiu com tanto sacrifício , não se compare à toa, com outros povos, nem muito menos com outros países, até porque, para quem nunca viveu e trabalhou de maneira integral na Europa e América, parece ser um “paraíso”“Mar de Rosas” que muitos querem ter, principalmente, aqueles que se baseiam nos filmes, novelas, grandes jogadores de futebol, Basket, músicas e  vida luxuosa de cantores internacionais.

Me parece que é pelo menos o sonho de muitos que mais tarde, mesmo que não admitem, por vergonha, de deixarem a terra natal e pátrio de Angola, se  arrependem, principalmente, quanto mais a idade aumenta, pelo volumar de trabalhos e serviços esforçados, em que tudo se conta e se paga, em que tudo se cobra, cada imposto e tostão, não tens como não ter meio termo, porque o europeu ou americano, não aceita te dar nada de favor, nem muito menos na sua cultura te dá  um ombro amigo constante aceita suas lagrimas de aflição e necessidade e o aconchego, próprio do africano e angolano, a não ser por fortes interesses.

Na verdade, o crescimento e desenvolvimento de nosso solo pátrio depende, simplesmente de nós e ninguém que vem ou virá de fora quererá,  Eleições Gerais Com Clareza, Verdade E Reconhecimento Das Insuficiências De Governação, eles pilharão nossa intenção de termos um Pleito eleitoral, justo e livres e é nesses momentos, que é chamado, principalmente dois atores importantíssimos e um terceiro, para o auxilio , para que tudo possa decorrer bem, pelo que ressalto, os Presidentes dos Partidos políticos, o Cidadão e a Igreja.

Para os Presidentes dos Partidos Político

  1. Para os Presidentes dos Partidos Políticos, gostaria enquanto angolano, suplicar se for o caso, que durante as campanhas de vossos partidos políticos, e os espaços que Têm na TV, Rádio, nas Redes sociais, que em primeiro lugar, não pensassem nas vossas ambições de estarem no poder a todo custo, porque a única maneira de serem presidente de Angola é simplesmente, por meio do voto.
  • Que não se aproveitassem dos espaços que têm para apresentarem um Programa Falso, sem verdade e insuficiente para a Governação, caso, se tenha possibilidades de vencer, porque acima de tudo e todos está um povo mártir, que nada tem haver com vossas ambições desmedidas.
  • Que não se aproveitem que a maior parte da população de Angola, seja jovem e ignorante, enraivecida pelas condições atuais económicas e sociais, para através das Redes Sociais, antes mesmo das Eleições, criarem grupos de pressão, para meterem na cabeça dos jovens e coitados dos zungueiros e zungueiras, que tudo está mal, que nunca foi feito nada e que só uns é que prejudicaram o país e outros não, quando todos sois participes do rumo em que se encontra, principalmente, Vocês os dirigentes, até porque até agora os angolanos, ainda não viram nem ouviram, nenhum deputado, quer seja do  MPLA, UNITA, FNLA, CASA-CE, PRS, a virem a público a dizer que tendo em conta as dificuldades do povo angolano, queremos que os nossos salários baixem para aumentar na função pública, que os carros luxuosos e o combustíveis não serão recebidos e aceites, que os guardas a que têm direitos e empregadas domesticas, também, não têm necessidade , bem como, não irão receber cada bonos que vos é dados na Assembleia em nome do povo, nessa hora todos vocês querem e gostam, certo?
  • Aos presidentes dos partidos políticos, peço-vos, não mintam o povo angolano com Programas que não serão eficazes e exequíveis, não precisam aldrabar o povo com discursos irreais, porque falar é bom e todo mundo quer ter uma oportunidade para se sobressair, mas é preciso serem mais verdadeiros com o povo e deixarem de falacias, principalmente, quando se não tem para dar.

Para o Cidadão

  1. Para O Cidadão angolano, faço um apelo de cidadania, patriotismo, irmandade, verdadeiro filho de Angola, que não se deixem ser influenciados pelos Partidos Políticos, nem pelos seus próprios presidentes, principalmente para serem votados a todo custo, mesmo que sejam partidos antigos, porque o mais importante  não é a antiguidade, mas terem certeza que têm experiência, fundos necessário, ou dinheiro suficientes que facilitem a gestão de seus programas e que não venha somente a depender de apoios dados para esse momento eleitoral e externos (o que é contra a lei e crime eleitoral), daqueles que estão a fazer promessas , com retóricas de que se ganharem, teremos melhores condições de vida.
  • Solicito os jovens a não serem enganados nos grupos das Redes sociais que os partidos políticos criaram, para sujar a imagem de outro partido concorrente, o que aconselho, é que ao invés de perdermos tempo com acusações, agitações para criar instabilidade, é analisarmos bem arrisca e a fundo o Programa minuciosamente, de cada partido, saber os pontos positivos de cada um, os pontos convergentes e divergentes e as Perspectivas para o crescimento e desenvovimento de Angola.
  • Aconselho a evitar desordem, porque em caso de desestabilização do país quem sofrerá mais é a própria juventude, por exemplo, se voltarmos a ter conflito interno, quem vai estar na linha da frente e a pegar novamente em armas, quer aceitemos ou não, é o próprio jovem e quem provocou, por ter melhores condições de protecção dificilmente ele e seus filhos, serão afectados, numa primeira fase.
  • Aconselho a não perderem tempo com agitação que vem de fora das nossas fronteiras, principalmente, por todos filhos de Angola, que saíram em busca de melhores condições de vida nas europa e América, quando poderiam muito bem estar aqui directamente, para nos apoiar a muda-lo, eles não acompanha os problemas directamente e agitam, porque têm dinheiro, para patrocinar as insurreições, sempre roubaram o país, ou têm melhores possibilidades, pois se não haver uma vigilância e maturidade, o país vai voltar a partir e depois saberão que o que escrevo, era uma Profecia , até porque quando a cabeça não funciona, o corpo é que paga.
  • Aconselho aos jovens, todos os dias até dia 22 de Agosto, o período que termina a campanha eleitoral, a assistirem, ouvirem, lerem os programas e comparem atentamente, tanto TV, Rádio e mesmo nas Redes Sociais, o comportamento de cada partido e chegarão a conclusão, de que partido e presidente está em melhores condições e com vantagens reais de dirigir o nosso país, porque todos sabemos, que uma das características do angolano é a retorica, provar que é provar, com devido respeito que tenho por quem lê este artigo, pouco se vê, tanto que as evidências está declarado nos nossos resultados diários e rumo que estamos a levar o nosso país.

Para a Igreja

A pesar das mudanças que as sociedades têm e sobretudo, também a Igreja sofre, existindo algumas que nesses últimos tempos surgem mais, por conta de falta de um controlo determinado, por parte do Estado, assim como, por conta das proximidades fronteiriças que o nosso país tem com seus vizinhos, bem como, a necessidade de muitos precisarem ter melhores condições de vida e assim seguirem denominações cristãs que apregoam a prosperidade, a Igreja ainda continua a ser o grande acervo moral da sociedade, até porque nos ensinamentos de Cristo é ensinado a respeitar o próximo , independentemente de quem seja, a cor, a raça, a etnia, a religião, as condições sociais, em enfim, tanto, que a Bíblia declara em  1João 4:20

“Pois ninguém pode amar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê. Se alguém declarar: “Eu amo a Deus!”, porém odiar a seu irmão, é mentiroso, porquanto quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não enxerga”.

Sendo que a Igreja é o grande acervo moral da sociedade, solicito e apelo a todos lideres religiosos e cristãos, a serem os primeiros e últimos a apregoarem Cristo, no verdadeiro sentido da palavra, a saberem separar o Trigo do Joio, ou são de Cristo ou são Políticos que têm  uma preferência ideológica partidária, mesmo que se revem, mais com um partido é preciso saber atuar nesse momento, porque nos encontramos num período crítico de nossas análises, agora o que pode ser permitido é respeitar as instituições do Estado, legalmente reconhecido, no caso, quando se está nas vestes da pessoa do próprio Estado, pelo que, os discursos, não podem nem devem ser como se de agitação fosse e inflamatórias, porque ao contrario, seremos obrigados a concluir que há um arrependimentos nas vossas decisões de serem, Bispos, Pastores, Padres, Diáconos, Evangelistas, entre outros tipos de cargos e funções clérigos, pelo que, aconselho a se deporem e a criarem , então, o “Partido dos Cristãos em Angola que lutam contra os que não sabem fazer”.

Conclusão:

Como conclusão, enquanto, angolanos que somos, não temos outra alternativa, se não termos no dia 24 de Agosto de 2022, Eleições Gerais Com Clareza, Verdade E Reconhecimento Das Insuficiências De Governação, para podermos ter uma Governação, que todos os angolanos possam estar dispostos a ajudar a governar, para o bem de todos que vivem nesse país, contudo, “Todos por Angola e Angola para Todos”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies