Uma vitória separa 1º D’Agosto do titulo nacional

0

O 1º de Agosto ficou a uma vitória do título, após vencer neste domingo (3), por 102-89, em casa do Petro de Luanda no quarto jogo da final do Unitel-basket, disputada a melhor de sete jogos, colocando a eliminatória em 3-1.

No quarto jogo da final do Unitel-basket2018, disputado a melhor de sete (playoff) no pavilhão multiuso do Kilamba, mesmo jogando em terreno alheio e num relativo equilíbrio, os dois conjuntos aproveitam as falhas mútuas, logo de início, para amealharem os pontos possíveis.

Na sequência, apesar das sucessivas falhas de lançamentos por parte dos petrolíferos, os rubros negros exploraram da melhor forma a debilidade e chegaram ao primeiro quarto com o resultado repartido (21-21).

O Petro entra mais determinado com penetrações e ataques à tabela adversária, que responde com mais lançamentos certeiros dos três pontos, permitindo ao placard electrónico registar a mínima vantagem de 46-44 do seu oponente, no intervalo maior.

No reatamento, a iniciativa das acções voltam a pertencer aos caseiros, principalmente no aproveitamento das faltas contrárias, obtendo assim alguns pontos.

Mas, com a réplica do 1º de Agosto, que evidencia eficácia e objectividade, a safra de 77-69 foi conseguida no terceiro período, para o desalento dos aficionados petrolíferos em maioria no pavilhão, que já começavam a mostra-se preocupados.

Já no quarto e último, em que se denota uma certa quebra física e poder anímico dos jogadores tricolores, os militares ampliam a vantagem com conversões de curtas e longas distâncias, bem como o roubo de bola na luta das tabelas, muito por culpa da apatia dos seus adversários.

Nesta toada, em que o Petro passa na tentativa de defesa “homem-homem”, numa autêntica luta contra o tempo, o 1º de Agosto faz “jus” à sua melhor condição física e competitiva, sem dar possibilidades ao opositor, desforrando-se da “chapa 100” do encontro anterior.

Os 25 pontos convertidos por Emanuel Quezada, contribuíram significativamente para o triunfo do 1º de Agosto, ao passo que do lado do Petro, os 19 de Gelson Gonçalves, foram insuficientes para impedir a derrota.

Assim, os comandados do treinador Paulo Macedo ampliam às vitórias, para 3-1, sobre os “pupilos” do técnico Lazare Adingono, que complicam as hipóteses de destronar, o Recreativo do Libolo, já fora da final.

Talvez pela intensidade do desafio e expectativa, já na fase derradeira, o treinador da equipa derrotada aparentava sangrar pelas narinas, notando-se a maior intervenção do seu adjunto Benjamin Avô.

Nos jogos já disputados, os militares levaram vantagem em casa (pavilhão Vitorino Cunha) nos dois primeiros encontros (87-73 e 93-78). Seguiu-se o triunfo do Petro de Luanda no terceiro (100-90) no seu recinto (Kilamba).

Sagra-se campeão nacional a formação que obtiver quatro triunfos na final dos playoff.