O país cabe aqui.

País ganha fábrica de embalamento de óleo 

Notícias de Angola – O país ganhou uma nova unidade industrial que dedicará no embalamento de óleo, com investimento a  rondou os 20 milhões de dólares, em equipamento e stocks.

Em funcionamento desde julho último, à unidade industrial do grupo Sovena, um total de 18 quadros locais, número que aumentará a 50 pessoas até final deste ano e 50 de forma Indirectamente.

Conforme o informe, o abastecimento desta marca em Angola está a partir de agora garantido através do embalamento local na fábrica da Sovena, substituindo a importação do produto durante as últimas décadas.

A fábrica em Luanda é um marco importante na visão do grupo de criar no país uma cadeia de produção eficiente que garanta a produção, processamento e fornecimento dos produtos da empresa ao mercado nacional.

A nota realça que a fábrica Integra linhas de embalamento com capacidade para 45 milhões de litros por ano, e conta com capacidade de expansão. 

Em operação desde Julho deste ano, o projecto emprega 18 quadros locais, número que aumentará a 50 pessoas até final de 2023, com a implementação de um segundo turno. Indirectamente, criar-se-ão cerca de 100 empregos.

O projecto resulta de uma parceria com a Orey, que detém as os edifícios onde a Sovena se encontra hoje, e que presta ao grupo serviços logísticos e de apoio à operação. 

“Esta sinergia agilizou todo o processo de investimento. Em apenas um ano, a Sovena arrancou com a operação, permitindo-lhe centrar-se na sua especialidade que é gerir a fábrica de embalamento”, lê-se no comunicado.

Recentemente, a empresa também estabeleceu uma parceria com o Grupo Carrinho, para a refinação local de óleo de soja cru, segundo as especificações e parâmetros de qualidade definidos pelo grupo alimentar.

Depois de substituir as importações de óleo Fula pelo embalamento local, o próximo grande desafio da Sovena em Angola passa pelo desenvolvimento da produção agrícola no país.

Segundo o presidente do conselho de administração da Sovena, Jorge de Melo, a abertura da fábrica de embalamento em Luanda marca o início da integração da Sovena na cadeia de produção alimentar angolana, um sector onde queremos criar um sistema de alto valor acrescentado e gerador de empregos.

Realçou que a unidade industrial é um marco importante na visão do grupo de criar localmente, em Angola, uma cadeia de produção eficiente e integral que inclui a produção, transformação, embalamento e abastecimento dos produtos da empresa ao mercado nacional. 

“As condições criadas a nível do Executivo com vista à dinamização da indústria e da agricultura local abrem oportunidades únicas para edificar um projecto de referência que promova a revitalização do campo angolano, essencial para a substituição efectiva das importações e para a criação relevante de emprego”, apontou.

A empresa está a olhar para a área agrícola com a certeza de que é um sector que requer muito investimento, muito know-how e que há um longo caminho a percorrer para criar as infra-estruturas de suporte (comercialização de equipamentos e insumos: sementes, adubos, armazenagem, transporte) e para adaptar as práticas agrícolas às condições específicas de cada zona de Angola. 

A colaboração com instituições locais e o IFC-Banco Mundial deverá ser chave na estruturação e desenvolvimento deste novo projecto.

A nível global, os investimentos e planos da Sovena em Angola inserem-se numa ambiciosa e bem-sucedida estratégia de internacionalização da empresa iniciada em 2002, em Espanha.

Comentários estão encerrados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies