O país cabe aqui.

O grito de socorro dos estudantes angolanos na China

0

Por: Ivanine Silva

Luís Leite, líder de um movimento estudantil angolano na China, revelou, que os estudantes angolanos naquele país, atravessam grandes dificuldades, provocadas pelas restrições impostas pelo governo chinês, por conta do Coronavirus.

O estudante que encontra-se na cidade de Quanzhou, fez saber, que grande parte dos estudantes angolanos espalhados pelas cidades de: Nanjing, Xiamen, Tianjing, Beijing, Gangzhou, , Whuan e várias outras, não conseguem sequer sair dos alojamentos, por causa das restrições em vigor.

https://www.instagram.com/p/B71sJseBAld/?igshid=1n4is5lmx2xbj&fbclid=IwAR0L5F2jGBTTY0n-K7QGVDCtmk-L8CxEfAg4Z4Y__OyzvfiePNpSX51XYfg
Vídeo gravado por Luís Leite

Por outro lado, aqueles que conseguem sair, essencialmente em busca de comida, produtos de higiene e máscaras de protecção, como é o seu caso, regressam quase sempre sem nada, já que as lojas estão com as prateleiras vazias.

Em algumas cidades, como é o caso da cidade de Wuhan, epicentro do vírus, onde estão cerca de 25 estudantes angolanos, as restrições já duram a mais tempo e são mais rigidas, fruto disso, atravessam-se maiores dificuldades.

Veja abaixo, o vídeo que mostra a situação que se vive na China.

https://www.instagram.com/p/B71eb7vhEtm/
Página do Instagram “Notícias de Angola”

Segundo Luís, nesse momento alguns estudantes estão de férias e encontram-se fora da China, facto que diminui o número de angolanos a viverem periodicamente distante do gigante asiático.

Sem qualquer apoio prestado pelo consulado de Angola na China até a data, os estudantes apelam ao apoio urgente do executivo angolano, de modo a terem como ultrapassar este período de aflição com alguma dignidade.

Mensagem de estudantes angolanos na China

Luís Leite, avança que não foi registado nenhum caso de infecção em estudantes africanos, em particular angolanos, facto que tranquiliza as famílias, o mesmo espera este quadro se mantenha, até que esta situação esteja ultrapassada.

Na China a cerca de seis anos, Luís Leite, é um estudante angolano proveniente da província de Malanje, frequenta o curso de Engenharia Eletrônica e Telecomunicações, na Quanzhou Normal University, financiado pelo Governo chinês.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies