O país cabe aqui.

Mitrans e a Yango  discutem regulação e medidas no serviço por aplicativo 

Notícias de Angola – O Ministério dos Transportes (Mitrans) e a Yango avaliaram regulação do sector e medidas de segurança no serviço de transporte por aplicativo

Segundo o comunicado que o Notícias de Angola teve acesso hoje, da reunião entre o Mitrans, a Agência Nacional de Transportes Terrestes (ANTT) e a Yango, na última semana, o ministro Ricardo Viegas d’Abreu reconheceu o papel da empresa que dispõe de serviços de táxi , na criação de um quadro legal específico para os chamados transportes por aplicativo no processo em curso.

Desde o início das actividades no país em 2022, a Yango colocou-se à disposição das autoridades nacionais para apoiar na criação de legislação que regule este sector, tendo em conta a experiência adquirida nos 20 países onde opera em todo o mundo.

A criação deste regulamento específico permitirá abordar de forma concreta questões ainda pendentes, como a emissão e aquisição de licenças de operação, um ponto que a Yango está a rever directamente com a ANTT, conforme indicações do Ministério dos Transportes.

Conforme o documento, a delegação da Yango informou as autoridades sobre o plano de negócios e apresentou a detalhe todas as funcionalidades do aplicativo que garantem a segurança das corridas, tanto para passageiros como condutores. 

A empresa de serviços de táxi destacou o convénio com o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), órgão ao qual os passageiros têm acesso directo ao pressionar o botão de emergência disponível no aplicativo.

No entender do director da Yango em Angola, Ivan Mugimbo, o encontro com a Sua Excelência Senhor Ministro e as autoridades da ANTT foi bastante produtivo e inspirador. 

“Além de reiterarmos a nossa disponibilidade e interesse em participar na edificação de um marco regulatório do sector, comprometemo-nos também a reforçar cada vez mais as funcionalidades de segurança, como temos feito de forma permanente, aliás, desde o ano passado, quando iniciámos operações em Luanda”, refere o comunicado.

Entre outros pontos, abordaram questões relacionadas com a logística de operação dos condutores que trabalham com o aplicativo, com o objetivo de melhorar a mobilidade na capital.

Comentários estão encerrados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies