O país cabe aqui.

Carlos Burity pondera dar pausa na carreira

0
Notícias de Angola

Por: Victória Pinto

Com mais de 40 anos de carreira, o cantor e compositor angolano, Carlos Burity, revelou em exclusivo ao Notícias de Angola, que chegou o momento de dar uma pausa.

Apesar da sua carreira ir bem, o músico aponta a crise como principal factor para pausa na composição e lançamento de novos trabalhos musicais.

“Chega uma altura que o artista precisa fazer um intervalo, como é de conhecimento colectivo estamos em uma fase de crise, que também atinge os músicos”.

Com mais de dez obras discográficas, Carlos Burity, disse não saber o por quanto tempo durará esta pausa.

Carlos Fernandes Burity Gaspar nasceu em Luanda, no dia 14 de Novembro de 1952, e viveu parte da adolescência no Moxico onde integra, em 1968, a formação pop–rock “Cinco mais um”, com Catarino Bárber e José Agostinho, o último do Duo “Missosso, com Filipe Mukenga.

No início dos anos 70, torna-se figura de cartaz na Sede Social de S. Paulo, importante centro cultural e de recreação da cidade de Luanda, alinhando, como vocal, em agrupamentos musicais consagrados como os Kiezos, Negoleiros do Ritmo, África Show e Águias-reais.

Em 1976 lança o disco “Especulador”, um tema de pendor satírico que marcou a sua entrada no universo da música de intervenção. Em 1991 lança o álbum “Carolina”, com os temas “Uabite Boba”, “Maria”, “Alukaze”, “Narciso” (de Mamukueno), “Carolina”, “Monami”, “Adeus” (Filipe Zau) e Kilundo (Filipe Mukenga).

Em 1994 surge com o “Angolaritmo “, que aparece sob a forma de CD, pela editora VIDISCO, com o título “Ilha de Luanda”.

Carlos Burity tem ainda publicados os álbuns “Wanga”, “Ginginda”, “Massemba”, “Zuela o Kidi”, “Paxi Iami” e Malalanza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies