O país cabe aqui.

Angola atenta nas oportunidades do continente

Notícias de Angola – O Embaixador de Angola na Etiópia Miguel Bembe, reafirmou na Quarta-feira, em Adis Abeba,  que o país com o apoio da Região da África Austral, apresentou a sua candidatura como Membro do Conselho de Paz e Segurança para o biénio 2024-2025 e para Presidente em exercício da organização continental em 2025, ano em que se comemora o 50º aniversário da independência nacional.

O representante angolano na Etiópia falava à margem do acto alusivo aos 48 anos de Independência assinalado a 11 de novembro último reiterou a disponibilidade de Angola em colaborar e trabalhar na obtenção de soluções pacíficas e colectivas para as preocupações multidimensionais da organização e imprimir uma dinâmica à altura das aspirações do Continente.
 
Miguel Bembé enalteceu o empenho do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, que originou a sua designação como Campeão da União Africana para a Paz e Reconciliação em África, em Maio de 2022, em Malabo, República da Guiné Equatorial, e no mandato para mediar o conflito existente entre a RDC e o Ruanda.
 
O diplomata angolano acresceu que sob a liderança do Presidente João Lourenço, “Angola tem consolidado a paz e a reconciliação nacional que constituem, para os angolanos, uma cultura, um património imperdível e um produto de exportação, cujo rendimento é o prestígio internacional do país e de suas gentes”.
 
Quanto ao as questões de paz e desenvolvimento, o Embaixador Miguel Bembe realçou o Fórum Pan-Africano para Cultura de Paz e Não-Violência – Bienal de Luanda, uma iniciativa conjunta entre o Governo angolano, a UA e a UNESCO, cuja 3ª Edição foi realizada nos dias 22, 23 e 24 de novembro, com foco no tema “Educação, Cultura de Paz e Cidadania Africana como Ferramentas para o Desenvolvimento Sustentável do Continente”.
 
Referiu-se à presença de eminentes personalidades africanas no referido evento, com destaque para a Presidente da Etiópia, Sahle-Work Zewde, e do Presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat.
 
Do ponto de vista económico, o diplomata explicou que o Governo angolano continua a promover e a proteger o Investimento Directo Estrangeiro, especialmente no sector privado, tendo mencionado o interesse crescente para as oportunidades regionais e continentais, com o intuito de reforçar e aprofundar a cooperação económica e financeira com todos os países.

Comentários estão encerrados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies