O país cabe aqui.

Impactos 4 anunciam lançamento de novo álbum

0
Notícias de Angola

Por: Victória Pinto

Após ausência de cerca de 15 anos, banda angolana “Impactos 4”, que fez sucesso dos anos 80 à 2004, está de regresso aos palcos e lançará em 2020 um álbum que deverá contar com 8 ou 10 faixas musicais.

Em declarações ao Notícias de Angola, Eduína Semedo, mencionou que o grupo chegou a conclusão que o inteligente não seria compactar as 8 ou 10 faixas musicais em um CD, mas lançar as músicas paulatinamente com os seus vídeos clipes para garantir o consumo das mesmas e evitar o caso de apenas duas músicas terem destaque.

Eduína Semedo, membro dos Impactos 4

“Impactos 4 hoje serve de referência e força para aqueles que querem fazer músicas ao vivo”.

Não adiantando os nomes nem o número de possíveis participantes, Eduína garantiu que o disco terá apenas a participação de instrumentistas e o público pode esperar um Impactos 4 persistente e com muito bom trabalho para proporcionar.

A cantora aproveitou a ocasião para partilhar com o público que 2019 foi positivíssimo e que o foco para 2020 é continuar nos palcos.

“Faço um balanço positivíssimo deste ano. Para 2020 o foco é continuar nos palcos, temos um disco a lançar, não consigo adiantar ainda o mês. Mas já é o nosso retorno aos palcos”.

Fundada em 1982 na cidade do Lobito, província de Benguela, por Orlando Semedo (pianista e maestro do conjunto na altura), a banda é hoje composta por Yola Semedo (voz e teclado), Eduina Semedo (voz e viola baixo), Jorge Semedo (voz e guitarra) e Alcino Semedo (bateria e produção musical).

Autores de temas bastantes conhecidos como “Maguy”, “Olha a Fruta” e “Sem Você”. Representaram Angola em 1985, no Festival Internacional da Organização das Nações Unidas para Ciência Educação e Cultura (UNESCO), na Bulgária, no qual Yola Semedo foi distinguida “Voz de Ouro de África”.

Em 1987 venceram o Festival Provincial da Canção em Benguela e, no ano a seguir, ocuparam o segundo lugar do Festival Nacional da Canção.

Três anos mais tarde (1990) emigraram para Namíbia, onde viriam a gravar, em 1991, o primeiro álbum: “Olha a Fruta”. Oito anos depois, lançaram o disco “É Hora”, com o qual arrebataram o troféu “Disco do Ano”.

Em 2001 lançaram a terceira obra discográfica con tema “Amar para vencer”. Texto: Victória Pinto

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade e Cookies